14.5 C
Lagoa Dourada
Início COVID-19 PL prevê distribuição de cloroquina para pacientes com lúpus e malária

PL prevê distribuição de cloroquina para pacientes com lúpus e malária

Foto: Cadu Rolim/Estadão Conteúdo. Divulgação: R7.

Um novo Projeto de Lei foi apresentado por um deputado à Câmara, no último dia 24, que prevê a distribuição gratuita da cloroquina a pacientes com malária e lúpus. Tais doenças tem efeitos positivos com seu tratamento, e ele tem sido produzido em massa pelo Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército, desde o fim de fevereiro.

Segundo o autor do projeto, em entrevista à Agência Câmara de Notícias, “trata-se de medida de suma importância para que o dinheiro já gasto pelo Exército na produção da cloroquina não escoe pelo ralo e para que as pessoas que realmente precisam de cloroquina possam ter acesso ao remédio a custo zero”.

Ainda segundo o parlamentar, o custo envolvido no processamento dos medicamentos é de mais de R$ 1,5 milhão, e o estoque atual do Exército pode suprir a demanda nacional por 18 anos, mas o remédio só tem 12 meses de validade. A PL 3931/20 está em análise no Congresso.

A ONG Repórter Brasil estima que o custo total das compras feitas para a produção é de R$ 1.587.549,81, dos quais 95% são para a aquisição de 1.414 kg de cloroquina em pó. O dinheiro partiu do Tesouro Nacional por pedido do Ministério da Defesa.

De acordo com o Estado de Minas, uma nova pesquisa da Universidade de Washington, dos Estados Unidos, irá testar a efetividade da hidroxicloroquina e do lopinavir/ritonavir no combate ao SARS-CoV-2. Belo Horizonte e mais oito cidades mineiras irão conduzir testes para o experimento que deve esclarecer os efeitos da droga.  

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) passou a exigir, a partir do dia 23, a apresentação de receita médica para a aquisição da cloroquina e de outros fármacos que estão sendo prematuramente considerados como eficazes no combate ao coronavírus.

Comentários

Online agora

Visitas até hoje

  • 146.614