21.2 C
Lagoa Dourada
Início Policial "Homem pateta" põe em risco crianças e adolescentes

“Homem pateta” põe em risco crianças e adolescentes

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) está alertando as famílias sobre os cuidados que devem tomar com seus filhos na internet. Isso porque perfis das redes sociais, com o nome de “homem pateta”, tem abordado crianças e adolescentes na rede, propondo desafios que incluem automutilação e suicídio.

Os perfis foram identificados como Jonathan Galindo, e tiveram origem em 2017, tendo sua difusão em países falantes da língua espanhola, em especial no México. A delegada Patrícia D’Ávila, de Santa Catarina, em entrevista à TV Globo, disse que existem mais de 170 contas em redes sociais que replicam tais atos, inclusive na língua portuguesa. Agora em maio, um suspeito de ser o autor do caso foi preso na Itália, segundo informações da PCDF.

O caso se assemelha a outros dois que ocorreram no passado, e que tinham o mesmo intuito nocivo: o jogo da baleia azul, de 2017, e a boneca Momo, que surgiu em vídeos do YouTube Kids em 2018, incitavam seu público a cometerem atos contra seu próprio bem-estar.

Devido à pandemia, muitos jovens tem passado mais tempo on-line, o que pode expô-los a riscos como esse. Nenhuma ocorrência foi registrada em Minas Gerais, mas os policiais mineiros emitiram oito dicas para evitar que casos como esse cheguem aos jovens:

– Manter a proximidade com os filhos, sobrinhos e alunos é essencial. Dessa forma, é possível conhecer mais sobre amigos, lazer e atividades sociais de interesse;
– Ter acesso a redes sociais para verificar o tipo de assunto que a criança ou o adolescente aborda ou compartilha entre os amigos; 
– Importante saber da rotina e ficar atento a qualquer alteração de comportamento deles. Mudanças de estilo de roupas e hábitos, por exemplo, são um indicativo de alerta; 
– É fundamental que a família e a escola realizem atividades que despertem o interesse no jovem acerca do futuro dele, que estimulem a autoestima e o que planeja para a vida; 
– Promover sempre um diálogo aberto com orientações e informações sobre os riscos de eventuais crimes pela internet, ressaltando que podem vir mascarados de entretenimento e sedução para algo interessante e que, na verdade, pode ser uma grande armadilha; 
– A relação de confiança criada com os pais é imprescindível para que o adolescente possa relatar qualquer coisa diferente que tenha ocorrido em sua rotina, sem temer a punição.    
– É importante os pais acompanharem e monitorarem o uso da rede pelas crianças. Dar preferência aos perfis Kids em plataformas de streaming, além de fazer uso dos canais oficiais e verificados dos conteúdos

Comentários

Online agora

Visitas até hoje

  • 75.170